quarta-feira, 15 de junho de 2016

A doce e fria noite eterna




Noite, você que me cobre com seu manto
Para que, eu seu filho, fique longe dos olhos que ferem
Seu brilho me encanta minha princesa
Em noites de solidão
Quando o amargo gosto da desilusão em minha boca queima
Doce é o seu beijo que faz esquecer
Quando o coração de seu filho esta ferido

Suaves e tenras são suas carícias
Que alivia a angústia
Frios e gélidos ventos apagam o fogo de minha ira
Pois você ouve meus clamores
Tranquilidade reflete-se em meus olhos
Enquanto olho para os seus
Pois um dia seremos um
Minha doce e fria noite eterna

Karl Heinrich   (12/06/08)




 

Nenhum comentário:

Postar um comentário