quarta-feira, 27 de maio de 2015

Parting Words





E o rio fluiu

No início era difícil, mas o que deveria ser feito, seria feito
Sempre o início é a parte mais difícil
Após a lacerante dor, a lâmina acariciava com mais a pele
A beleza da correnteza carmin iniciava-se
E meio a isso, começavam os ecos na mente
Da contemplação das existências e sua crueldade
Mas você estava sendo cruel também
Pois nesses poucos ecos, estavam aquelas pessoas que o amavam
Sim, poucas mas verdadeiras
Mãe, irmã, amigos e companhias
Em meio ao fluxo vermelho e jorrante tudo isso era visto no olho da mente
Lentamente lágrimas surgiam naquela que sentiram muito a dor do mundo
Mas, não havia mais volta para esta jornada rumo ao desconhecido
Não haveriam para que retornar pois a decisão era aquela
Este mundo, nunca foi seu lugar, este existe para outras pessoas não você
Lentamente a sonolência e uma fraqueza começam a tomar conta
Em meio aos ecos, você pela última vez e sente o conforto frio e gelado da mãe morte
Pois agora, a dor, a falsidade, a escravidão
Não o atormentaram e farão você triste
Enquanto a fonte do rio começa a secar,
Os olhos contemplam o vazio e em um último pensamento
Apenas vem em turva mente....
Finalmente livre de uma prisão que você pediu para ser posto
Finalmente livre para existir, sem limitações
Finalmente livre da prisão carnal

21-05-2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário