domingo, 26 de dezembro de 2010

Um Psicopata Ibirubense

Eis um pouquinho de ócio criativo

“Sabe quando o dia ao invés de nascer, parece que ele foi cagado, pois bem, este é um desses dias. A noite foi um inferno e o dia promete ser um pouquinho pior. Oito da manhã e já está quente. A cada instante uma desagradável surpresa.
Agora eu sempre me pergunto, porque tanto sangue? E pra que?
Mais ou menos quatro 4 litros, aff,
E por se não facilitam as coisas. Depois de algumas horas tudo fica pior. Maldito quem inventou a tal de rigidez cadavérica.
Sabe, deveríamos ser chamados de heróis, afinal, existe gente demais no mundo. Aliás, existe idiota demais neste mundo e esta não vai acrescentar nada à humanidade.
Campanhia, mas que merda, será que não podemos nem trabalhar direito? Droga, por que vizinhos não moram a quilômetros de distância e ligam antes de aparecer. Humm, droga, esqueci que não tenho mais telefone.
Ai, ai, ai, vamos ativando a máscara de vizinho querido e solícito. “
- Bom dia Márcia.
- Oi Carlos, noite agitada ontem, né?
-Humm, porque você diz?
-Seu safadinho, ouvi os gemidos e gritos a noite toda. Seu selvagem.
-Ah, sim, é.......errrr, digamos que eu estava um pouco mais “afiado” que o normal.
-Posso entrar?
-Não.
-Ai credo !!!
- Desculpe, a casa está uma caos, e estou tentando colocar ordem nele. Estou travando há horas uma batalha contra meu apartamento e ele está vencendo.
-HAHAHAHAHAHAHAHA.
-Mas você precisa de algo?
-Na verdade não, so queria matar um tempo.
-Bem, eu também gosto de matar......um tempo, mas hoje é dia de São pega, quero ver se deixo limpo tudo. Pois a noite foi de matar, e tem pedaços de coisas por todo lado, se é que você me entende.
-Sim,....., mass....bem, na verdade, sabe a aquela moça que se mudou semana passada? Morava nas casas ao lado?
- Não lembro.
-Cabelo longo e negro, ia trabalhar num a empresa aqui, com secretária,......hummmm, espere, não vai adiantar nada, a moça do shortinho curto que você tanto gostou da cor.
-Hahahahahahahahahah, ok, lembrei, mamãe adoraria tê-la de nora. Mas eu não tenho culpa de achar brims desbotados e curtinhos bonitos, tenho?
- Viu como vc lembra seu devasso.
-Não tem como não lembrar, tantos atributs, hummm, .... mas,.... o que tem ela.
-Sumiu, há quatro dias. E ninguém a viu
-Coisa hein. Mas não deve ser nada demais, afinal, neste mundo louco pessoas mor, ....,somem todos os dias.
-Mas em questão de poucos meses, já foram 4 e com esta é a quinta.
-Hjumm...., mas não a vi........Mas, era só isto? Quero estar pronto antes do meu turno. E terminar com o que comecei...
-Ok, sempre preocupado com o trabahlo, .....seu açougueiro, você não sente pena dos bixinhos?
-Veja, bem, se eu tivesse que matá-los com as mãos, talvez, mas é tudo automático e indolor. Como a morte deve ser.
-Sim, mas ao menos você poderia trocar de roupa né.
-Hã,.......,ah, sim as manchas, ......é acontece,.......... bem .....o papo está bom, mas a jornada é longa.
- Ok, vai aparecer na praça tomar um mate?
-E assistir aquele circo de horrores de aparências, não, muito obrigado. Como disse tenho “quilos” de trabalho para fazer.
-Então conversamos no curso de noite.
-Ok.
-Tchau.
“Ai mi huevitos, 15 minutos de produtiva relação humana, maldita cidade que me enfiei. Em uma daquelas típicas cidadezinha medíocres do interior, onde falar da vida alheia é tão importante quando comer ou respirar. Se as pessoas se importassem mais com suas vidas, com certeza estaríamos colonizando outros planetas, mas, de volta ao officium infernalle.
Eu digo que a vida, é engraçada, imaginem só, uma pessoa com meus dotes manuais trabalhando num abatedor. É impressionante que nem o capataz, acha estraño que eu peça alguns utensílios emprestado.
Ser reservado tem suas vantagens. Se vc contar que um primo distante lhe deu um boizinho e que vc vai carneá-lo, ninguém lhe vai inquiri-lo o porquê levar uma serra e mais alguns ganchos pra pendura a carne,, heheheheheheheh. E muito menos que a carne ou seja lá o que está saído da sua casa e não entrando, hahahahahahahah. Povinho burro. Regra básica, se vista bem, seja amável, compartilhe a carne com seus vizinhos. E tudo ficará ok.
Mas enfim, falta meia hora pro trabalho, e sempre precisamos ajudar quem é necessitado. Canis por perto sempre são bom estes. Fazer o bem, não importando a quem. Probres bichinhos, sempre famintos, e a fome é algo que você mata e ninguém fica triste.
A parte um do ritual está pronta, agora , aquela coxa daquela morena, hummm, delicia de assado vai render este fim de semana na Márcia, sabe que estou bem mais tranqüilo agora.
E já estou preparado para ouvir:” porque eu nunca vi este tipo de carne no açougue", mas isso são ossos do ofício, o assador não guarda o melhor espeto para ele? Então, o açougueiro guarda a melhor carne.
Hahahahaha, que povinho burro.
Excretado por Carlos no dia 09/12 /2010 da 12:00PM até as 02:10

Nenhum comentário:

Postar um comentário