sábado, 6 de fevereiro de 2010

Nostalgia

Nostalgia - a palavra de origem grega consiste da união de νόστος, nóstos, "retorno ao lar", uma palavra Homerica, e ἄλγος, álgos, "tristeza" ou "dor".Nostalgia descreve uma sensação de saudades de um tempo vivido, frequentemente idealizado e irreal. Nostalgia é um sentimento que surge a partir da sensação de não poder mais reviver certos momentos da vida.

Bem, porque isto?

Hoje estava revirando minhas fitas cassetes (+ de 100 e tantas) e relembrando tudo o que passei, caminhei e literalmente batalhei para consegui-las. E do porquê de ainda não ter me desfeito delas.
Eu observo hoje, como as coisas se tornaram simples e corriqueiras. Por exemplos, no momento, mal vejo a hora de baixar o novo Rotting Christ-Aealo. Sei que, em 1 hora (se esta conexão porca não falhar) estarei me deleitando com o novo opus desta excelente banda. Simples não!?!?!
Mas enfim vamos ao que interessa, eu lembro que na década de 90, inclusive até o início da década passada e durante ela, estas fitas foram minhas salvações. Inúmeras viagens a Satã Maria, para gravar coisas na finada Oficina do Rock. Trocando gravações com os kamerads, indo no velho Gustavo e sempre ficando totalmente embasbacado com o acervo que tinha (tem, acho eu). Encomendando fitas da Heavy Metal Rock (sempre um qualidade pra lá de maravilhosa). E cada fita tinha um sabor especial (sim, morango, uva, citrus, ...etc). A parte de gravar era a mais corriqueira e a menos problemática (salvo exceções, Gustavo sempre foi um caso a parte, Radicalism rulez hehehehe), mas o brabo era quando eu queria o xérox do encarte, pois sempre acreditei, que letras e música formavam um só, (claro opiniões mudam, hoje há letras que sinceramente preferia que não existissem).
Até um causo que lembro, quando era mais jovem que hoje (92-94), quando pedi ao kamerad Fernando para gravar o baladeiro Pleasure to Kill. Como eu era um newbie e as doutrinas Radicalistas não permitiam que newbies meressecem ouvir baladas do Kreator, meio que a contra gosto foi gravado, bem a qualidade era horrenda, cymbal não se ouvia e tão pouco todo o resto, e tinha 30 minutos de gravação ou seja alguma coisa faltava, mas me deleitei e dancei muito com todas aquelas belas baladas. Anos mais tarde fui descobrir que o bunitão havia sabotado minha fitinha, hehehehe, com através do método de sucessivas gravações. Bons tempos, sofrer com radicalismo em Ibi Shitty foi ruim e bom ao mesmo tempo, me fez valorizar mais ainda o que se conseguia. E sempre lembrar, quem merece ouvir certas coisas e quem não (hehehehehe).
Porém o ponto é que tudo é simples hoje, 5 minutos de pesquisa você tem o álbum, as letras, os vídeos que o acompanham e o encarte para baixar. Não estou reclamando que isso é ruim, mas old times were better.

Nenhum comentário:

Postar um comentário