sexta-feira, 12 de junho de 2015

Tão dolorosamente lindo !!!



 Por que mentias? (Álvares de Azevedo)

Por que mentias leviana e bela?
Se minha face pálida sentias
Queimada pela febre, e minha vida
Tu vias desmaiar, por que mentias?

Acordei da ilusão, a sós morrendo
Sinto na mocidade as agonias.
Por tua causa desespero e morro…
Leviana sem dó, por que mentias?

Sabe Deus se te amei! Sabem as noites
Essa dor que alentei, que tu nutrias!
Sabe esse pobre coração que treme
Que a esperança perdeu por que mentias!

Vê minha palidez – a febre lenta
Esse fogo das pálpebras sombrias…
Pousa a mão no meu peito!
Eu morro! Eu morro!
Leviana sem dó, por que mentias?

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Parting Words





E rio o fluiu

No início era difícil, mas o que deveria ser feito, seria feito
Sempre o início é a parte mais difícil
Após a lacerante dor, a lâmina acariciava com mais a pele
A beleza da correnteza carmin iniciava-se
E meio a isso, começavam os ecos na mente
Da contemplação das existências e sua crueldade
Mas você estava sendo cruel também
Pois nesses poucos ecos, estavam aquelas pessoas que o amavam
Sim, poucas mas verdadeiras
Mãe, irmã, amigos e companhias
Em meio ao fluxo vermelho e jorrante tudo isso era visto no olho da mente
Lentamente lágrimas surgiam naquela que sentiram muito a dor do mundo
Mas, não havia mais volta para esta jornada rumo ao desconhecido
Não haveriam para que retornar pois a decisão era aquela
Este mundo, nunca foi seu lugar, este existe para outras pessoas não você
Lentamente a sonolência e uma fraqueza começam a tomar conta
Em meio aos ecos, você pela última vez e sente o conforto frio e gelado da mãe morte
Pois agora, a dor, a falsidade, a escravidão
Não o atormentaram e farão você triste
Enquanto a fonte do rio começa a secar,
Os olhos contemplam o vazio e em um último pensamento
Apenas vem em turva mente....
Finalmente livre de uma prisão que você pediu para ser posto
Finalmente livre para existir, sem limitações
Finalmente livre da prisão carnal

21-05-2015

sexta-feira, 13 de março de 2015

Pain Divine !!!






O processo da Dor
É algo que deve ser apreciado em sua magnitude
Senti-la, Chorá-la, Gritá-la
A cada passo para dentro do sofrimento
Ela o fará ver que a ilusória alegria é temporária
E apenas a dor é o que te levará além

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Like an angel



A face of an angel,
Sweet innocence
With darkness within,
Deep dark eyes
Lurks your soul



A succubus who eagerly
Will consume you,
And before your slumber ends
Death will have already conquered you !!!

16-01-2015